PAI



Ainda te lembras de quando eu era criança? De quando eu tinha aqueles caracóis tão definidos e perfeitos? Dos meus olhos esbugalhados a olharem para ti? Eu não. Mas sei diante mão, que já não tenho os caracóis perfeitos e tão pouco penteados de forma linear, mas em prol disso os meus olhos continuam a olhar-te da mesma maneira, com orgulho em te ter como pai, e espero que apesar de ser fria na demonstração de sentimentos, saibas que em ti tenho o maior orgulho do mundo, que és o Homem da minha vida e que nada nem ninguém muda isso, independentemente das discussões que temos. Obrigada por me teres tornado tão  igual a ti em feições e em feitio. Amo-te Pai, és o Homem da minha vida!  

5 comentários: