agora és a minha realidade II




Duarte puxou-a para ele, agarrou-a e beijou-a intensamente. 
Depois de todo aquele dia tão emocionante, Duarte depois de chegar a casa mandou uma mensagem a Maria
Duarte: 'Princesa, eu sei que não estamos juntos à menos de 10 minutos, mas já estou a morrer de saudades tuas. Obrigada por me teres aceitado, e por me deixares o homem mais feliz do mundo, sou teu e só teu, não há rapariga no mundo melhor que tu!' - Maria conforme vai lendo a mensagem, vai-lhe crescendo um sorriso cada vez maior, mas que acaba por se emocionar e faz cair algumas lágrimas, e responde de volta
Maria: 'Eu também já tenho saudades de estar ao teu lado, do teu beijo que só a mim me pertence,o teu abraço que me conforta e me deixa completamente segura. és só meu, e eu vou de tudo que estiver ao meu alcance para não te magoar meu príncipe'.
Duarte: 'O que mais quero, é ter-te comigo, ter-te comigo a toda a hora, a todo o minuto, a todo o segundo, porque sim eu sei que de ti eu não me vou fartar nunca!' - passados uns 30 minutos Duarte não recebeu resposta, ele começou a pensar um milhão de coisas, a cabeça dele parece que ia explodir, mas depois lembrou-se que já era tarde, e Maria tinha aulas no dia a seguir e talvez tenha adormecido e talvez tenha sido por isso que ela deixou de lhe responder, o que o deixou mais tranquilo, e foi dormir também.
Na manhã seguinte, Maria quando acordou viu a mensagem que Duarte lhe tinha mandado na noite anterior, mas que ela acabara por adormecer, mas sem mais demoras ela respondeu à sua mensagem.
Maria: 'Desculpa se ontem te fiz pensar alguma coisa de estranho mas o que aconteceu é que adormeci e já não fui capaz de me despedir de ti. Eu vou agora tratar de me vestir e depois vou para a faculdade, almoçamos juntos? Beijo grande'. Maria arranjou-se, tomou o pequeno-almoço e saiu de casa, pegou no carro, um Mini Cooper, e foi directa à faculdade de comunicação social, em Lisboa. Apanhou imenso trânsito, mas conseguiu chegar a tempo da primeira aula. A meio da aula, lembrou-se que não lhe tinha dito a que horas era a sua hora de almoço, e portanto teve de mandar uma mensagem rápida para dizer a Duarte, caso ele aceitasse.
Maria: 'Duarte, caso se formos almoçar juntos, eu saio às 14 horas para almoço e entro às 16 horas, depois diz-me alguma coisa. Gosto de ti.'
Duarte acordou com o barulho do telefone a tremer em cima da mesa de cabeceira, e quando olhou viu que tinha duas mensagens de Maria a falar sobre o almoço. Olhou para o horário do trabalho e por  acaso estava com sorte, porque hoje tinha dia de folga. E  mandou mensagem a Maria para a avisar que iria dar para almoçarem juntos.
Duarte: 'Sim amor, vai dar para ir almoçar contigo, hoje é o meu dia de folga, e assim para o caso de te interessar estou livre o dia todo e assim tu até podias faltar às aulas da tarde para estar comigo o resto do dia. Às 13h30 estou ao portão da tua faculdade. Gosto de ti.'
Maria tinha acabado as aulas da manhã e ir almoçar com Duarte. Duarte já estava à espera de Maria, e lá bem ao fundo viu Maria, e Maria também o viu, despediu-se rapidamente dos seus amigos e foi a correr para os braços de Duarte, que a recebeu com um enorme abraço.
Duarte: Isso foi tudo para estares mais tempo comigo?
Maria: Sim foi, sabes que eu gosto muito de estar contigo.
Duarte: Leste o que eu te disse de hoje ser o meu dia de folga?

Continua...

9 comentários: